• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Volta as aulas em SC é marcada por ataques a educação

O anúncio da Secretaria Estadual de Educação é que a meta para o início do segundo semestre é de demitir 2mil ACT’s

Publicado: 07 Agosto, 2018 - 08h40

Escrito por: Sinte-SC

notice

A volta as aulas na rede estadual de ensino, após o recesso escolar, está ocorrendo com diversos ataques aos trabalhadores em educação com o anúncio da Secretaria Estadual de Educação que a meta para o início do segundo semestre é de demitir 2mil ACT’s, segundo declaração feita por Avani Fernandes – Diretora de Gestão de Pessoal da SED, em web conferencia no início desta semana. Também fomos surpreendidos com a afirmação sobre o fechamento de turmas do PENOA - Programa Estadual Novas Oportunidades de Aprendizagem - que foi difundido pela Secretaria como uma grande oportunidade para os alunos com dificuldade de aprendizagem terem um reforço dos seus estudos no contraturno.

Está claro o porquê da não abertura de turmas na educação catarinense, ou ainda o processo de reenturmação: servem única e exclusivamente para aumentar o número de alunos em sala e diminuir o número de professores, colocando em jogo a qualidade da educação, o bom andamento das atividades escolares e a vida funcional dos professores.

No ano de 2018 já tivemos o anúncio de que os CEDUPS não poderiam abrir novas turmas no segundo semestre e que assessores de direção seriam exonerados, ocasionando em demissões de ACTs. Ainda que com a luta do SINTE/SC em conjunto com os professores, tais decisões tenham sido revistas, a Secretária Simone Schramm não está cumprindo com a palavra dada e não tem permitido que diversas turmas sejam abertas, e recebemos denúncias de demissões de acts por conta das exonerações. 

Nesse sentido, o SINTE/SC enviou ofício a SED, exigindo uma audiência com a Secretária para que ela explique os ataques nesse segundo semestre, e dê respostas ao magistério e sociedade catarinense sobre os retrocessos promovidos pelo Governo.

O SINTE/SC convoca a categoria à resistência, para que cobrem das GEREDs e autoridades políticas, providências no sentido de impedir os ataques que estamos sofrendo. Somente com a luta conseguiremos acabar, de uma vez por todas, com os desmandos da Secretaria de Estado da Educação.

carregando