• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Trabalhadores do serviço público municipal de Florianópolis encerram greve após executivo arquivar projeto que retira direitos

11 dias de greve e um grande enfrentamento dos trabalhadores, garantiu a conquista da retirada de pauta do projeto que pretendia alterar a previdência

Publicado: 22 Agosto, 2016 - 10h04

Escrito por: Portal Maruim

notice

Mais de três mil trabalhadores do serviço público municipal encerraram nesta sexta-feira, 19 de agosto a greve que teve início há onze dias. Os principais motivadores para o término do movimento foram o arquivamento do Projeto de Lei 1.560/2016, de autoria do executivo, que pretendia alterar o regime próprio de previdência dos municipários e o compromisso da prefeitura em pagar o reenquendramento das auxiliares de sala, como nível técnico na tabela salarial, a partir da folha de setembro.

Os trabalhadores presentes na assembleia se mostraram satisfeitos com o desenrolar da greve que contou com episódios de tensão nos últimos dias. Na quarta-feira, 17 de agosto os servidores permaneceram em vigília na Câmara Municipal de Florianópolis para pressionar os vereadores durante a votação do PL, na pauta da sessão do dia. Porém a presença de centenas de trabalhadores pareceu intimidar vereadores da base governista, que não desceram dos seus gabinetes para dar quórum à sessão.

Com isso, na tarde de do dia 18 de agosto os servidores saíram em passeata até a prefeitura. Parte dos trabalhadores subiu ao quinto andar para ocupar o gabinete do prefeito César Souza Júnior (PSD) e tensionar para uma mesa de negociações. Depois de mais de duas horas do lado de dentro do prédio ocupado, o executivo se comprometeu a arquivar o projeto rechaçado pela categoria.

Entenda o caso- Os servidores do município deflagraram greve no dia 3 de agosto em assembleia com mais de duas mil pessoas realizada em frente à Câmara Municipal de Florianópolis (CMF). Os trabalhadores reivindicavam, entre outras pautas, que a prefeitura arquivasse o Projeto de Lei Complementar 1.560/2016, que pretendia alterar o regime próprio de aposentadoria dos servidores municipais, e que cumprisse com o Acordo Coletivo de Trabalho, negociado no período de data-base em março deste ano, reenquadrando as auxiliares de sala no nível técnico da tabela salarial e efetuando o pagamento do plano de carreira.

O PL 1.560 propunha alterar a Lei 349 de 2009 que dispõe sobre a organização do regime próprio de previdência dos servidores municipais de Florianópolis. Seu ponto central estava na passagem do fundo financeiro para o fundo previdenciário dos segurados com idade igual ou superior a 65 anos até 31 de maio de 2016.

carregando