• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

SC foi às ruas novamente para dizer não aos ataques à Educação e à aposentadoria

O segundo dia de mobilizações foi o esquenta para a greve geral de 14 de junho. Em Santa Catarina, o tempo não ajudou, mesmo assim, diversas cidades contaram com mobilizações embaixo de chuva.

Publicado: 31 Maio, 2019 - 14h30 | Última modificação: 31 Maio, 2019 - 14h45

Escrito por: Pricila Baade

Silvia Medeiros
notice

Esta quinta-feira, 30 de maio, foi marcada em todo o país por mais um dia de luta em defesa da Educação e contra a Reforma da Previdência. Após as enormes mobilizações de 15 de maio, os estudantes e trabalhadores voltaram às ruas para dizer que não aceitam os cortes da Educação e os ataques à aposentadoria.  

O segundo dia de mobilizações, convocado pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), com o apoio da CUT e diversas outras centrais, foi o esquenta para a greve geral de 14 de junho. Em Santa Catarina, o tempo não ajudou, mesmo assim, diversas cidades contaram com mobilizações embaixo de chuva.

Em Florianópolis, a chuva que não dava trégua desde as primeiras horas do dia desanimou os mais pessimistas sobre o ato marcado para o fim da tarde. A Praça Tancredo Neves, local escolhido para a concentração, já estava lotada no início da tarde com os servidores municipais para a Assembleia do Sintrasem.

Perto das 16h, cada vez mais pessoas chegavam para se unir à manifestação. Estudantes e trabalhadores vinham preparados, com capas ou guarda-chuvas, mostrando que o tempo ruim não é desculpa para quem quer lutar pelos seus direitos. Às 17h, cerca de 20 mil pessoas saíram em passeata e um mar de guarda-chuvas coloridos percorreu as ruas da capital com gritos em defesa da educação e da aposentadoria dos brasileiros e brasileiras.

Além de Florianópolis, também aconteceram atos em Joinville, Blumenau, Chapecó, Camboriú, Dionísio Cerqueira e diversos outros municípios.