• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Santa Catarina mobilizada contra a Reforma da Previdência

Nesta semana, mobilizações aconteceram ações em Florianópolis, Chapecó, Criciúma e Blumenau contra o fim da aposentadoria.

Publicado: 14 Dezembro, 2017 - 11h08

Escrito por: Pricila Baade

notice

Durante esta semana, diversas ações de luta contra o fim da aposentadoria estão acontecendo em todo o Brasil. Santa Catarina também está mobilizada na Jornada de Lutas para impedir a aprovação da nova proposta de reforma da Previdência do golpista e ilegítimo Michel Temer. De segunda (11) até quarta-feira (13) ações aconteceram em Florianópolis, Chapecó, Criciúma e Blumenau.

PressPressNa segunda e terça-feira, dirigentes do movimento sindical se uniram para pressionar os deputados e senadores no Aeroporto de Florianópolis. Com camisetas, faixas e cartazes, os militantes se manifestaram contra o desmonte da previdência e os retrocessos do Governo Temer e dialogaram com as autoridades que chegavam ao local.

Na quarta-feira, dia de mobilização em todo o Brasil, também foi dia de luta na capital catarinense. Os trabalhadores e trabalhadoras e representantes do movimento sindical se concentraram no calçadão da Felipe Schmidt, em frente à agência do INSS, durante todo o dia para dialogar com a população, entregar materiais sobre retrocessos da reforma e denunciar os deputados que pretendem votar pelo fim da aposentadoria. No local, também estavam sendo recolhidas assinaturas para a campanha de anulação da Reforma Trabalhista. Em alguns momentos do dia, as pessoas faziam filas para apoiarem o abaixo-assinado e mostrarem sua insatisfação com o Governo Temer.

A presidenta da CUT-SC, Anna Julia Rodrigues, participou da mobilização em Florianópolis e disse que a ação teve um resultado muito positivo “Foi um dia importante para explicar para a população sobre os impactos que a Reforma da Previdência trará para suas vidas e mostrar a importância de todos se unirem à luta para impedir que ela seja aprovada.”

MoblizaMobliza

 

 

 

MobilizazMobilizazNa terça-feira quem também se mobilizou contra a Reforma da Previdência foi Blumenau. Representantes do movimento sindical se reuniram em frente ao INSS com faixas contra o fim da aposentadoria e denunciando os deputados e senadores catarinense que votaram contra o trabalhador. Na oportunidade, também foram recolhidas mais assinaturas para a anulação da Reforma Trabalhista.

Acampamento em frente ao INSS, em ChapecAcampamento em frente ao INSS, em Chapec

 

A regional do Oeste também está lutando contra a reforma. Agricultores Familiares da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (FETRAF) de Santa Catarina estão acampados fazendo greve de fome desde terça-feira (12) em frente à agência do INSS, em Chapecó. Os trabalhadores seguem mobilizados até segunda-feira (18).Com panfletos e cartazes, o movimento alerta a sociedade sobre os retrocessos que irão acontecer caso a reforma seja aprovada. Durante essa quarta-feira a mobilização foi intensificada com panfletagem e faixas contra a reforma da previdência nas sinaleiras de Chapecó.

Panfletagem em CriciPanfletagem em CriciA Regional Sul da CUT também organizou sua agenda de lutas contra a Reforma da Previdência. Nessa terça-feira (11) e quarta-feira (12) foram feitas panfletagens e faixas para chamar a atenção da população. Nos dois dias, a ação aconteceu na Praça Nereu Ramos, em Criciúma. Já nesta quinta-feira (13) as panfletagens acontecerão durante todo o dia em diversos locais: às 5h, na empresa Eliana, no município de Cocal do Sul; às 12h30, no Hospital São José, e às 14h, na Praça Nereu Ramos, em Criciúma. Já sexta-feira (15) a panfletagem acontecerá na empresa Librelato, em Içara, a partir das 7h. Neste dia, uma nova reunião acontecerá para definir as próximas ações.

A presidenta da CUT-SC reafirma a importância da união do movimento sindical para garantir que esta reforma não seja aprovada “Estamos em estado de greve permanente contra a Reforma da Previdência. Usaremos toda a nossa força para impedir que Temer e seus aliados acabem com o direito do trabalhador se aposentar. O recado está sendo dado pelas ruas: se botar pra votar, o Brasil vai parar e quem votar a favor dessa reforma, não se elege em 2018!”.

carregando