• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ocupar as ruas para defender a aposentadoria

Lideranças sindicais, de movimentos sociais, professores, aposentados realizaram uma panfletagem em Chapecó alertando a população sobre a maldade do Governo de Michel Temer se colocar a Reforma da Previdência em votação.

Publicado: 08 Fevereiro, 2018 - 08h42

Escrito por: Assessoria de Comunicação - SITESPM

notice

As ruas de Chapecó ganharam uma movimentação diferente nesta terça-feira (06). Lideranças sindicais, de movimentos sociais, professores, aposentados realizaram uma panfletagem no município alertando a população sobre a maldade do Governo de Michel Temer se colocar a Reforma da Previdência em votação.

O Governo Temer faz propaganda para enganar o povo brasileiro e mente quando diz que a Reforma da Previdência é para acabar com privilégios e garantir direitos. Na verdade, corta direitos dos trabalhadores para manter os supersalários e o pagamento dos juros altos da dívida pública. Além disso, cria espaço para a privatização da Previdência Pública.

O Governo Temer e seus deputados/as querem explorar o trabalhador até a morte, empurrando a aposentadoria para depois dos 65 anos. Segundo o presidente da Federação dos Trabalhadores Municipais de Santa Catarina (FETRAM-SC/CUT) Lizeu Mazzioni, que esteve na panfletagem, os trabalhadores precisam saber que serão os mais prejudicados com essas alterações propostas pelo Governo. “Podemos dizer que o deputado/a que vota a favor da Reforma da Previdência é inimigo do povo porque amplia a exploração dos trabalhadores, com mais tempo de trabalho, menos tempo de aposentadoria e benefícios mais miseráveis. Serão os trabalhadores mais precarizados que terão mais dificuldades de alcançar a aposentadoria com idade mínima elevada”, explica.

O Regime Geral da Previdência não apresenta grandes problemas de financiamento. Nos últimos 10 anos, a receita da seguridade social, pagou todas as despesas da saúde, da assistência e do regime geral da previdência e ainda sobrou mais de R$ 600 bilhões que foram usados para o pagamento dos juros da dívida pública. O Governo deveria reduzir os juros reais da dívida pública e diminuir a especulação financeira sobre as finanças públicas. O Governo quer aumentar o sofrimento do povo para manter os lucros dos especuladores. A proposta do Governo Temer é colocar a Reforma da Previdência em votação no dia 19 de fevereiro e por isso as lideranças ocuparam as ruas hoje com panfletos e carro de som, para mobilizar os trabalhadores e trabalhadoras a parar nesse dia e defender a aposentadoria.

 No dia 19 de fevereiro a greve geral terá início às 9 horas na praça Coronel Bertaso.

 

carregando