• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Noite histórica para os Servidores de Maravilha

Emoção, essa é a palavra que podemos descrever depois de acompanhar uma apreensiva sessão na Câmara de Vereadores de Maravilha, na noite de segunda-feira, 12 de dezembro

Publicado: 13 Dezembro, 2016 - 16h00

Escrito por: Sílvia Menegatti

O Governo da Prefeita Rosimar Maldaner (PMDB) encaminhou à Câmara de Vereadores dois polêmicos Projetos de Lei. O de número 19 diminuía os percentuais dos Adicionais por Títulos dos Professores e o de número 20 diminuía as gratificações dos Servidores Municipais.

Muito antes dos Projetos darem entrada na Câmara de Vereadores, a Direção do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço público Municipal de Chapecó e região -SITESPM-CHR juntamente com os servidores já estavam na mobilização, eles acompanhavam as sessões do Legislativo e na segunda-feira, 5 de dezembro r iniciaram uma greve que durou até a última sexta-feira, dia 9, em Assembleia eles decidiram manter o estado de greve.

O Sindicato se manteve firme em não aceitar a proposta do Governo e em conversas com a Secretária de Educação, Roseméri Rodrigues da Silva e o Secretário de Administração e Fazenda, Cleiton Borgaro solicitava que os Projetos não fossem enviados ao Legislativo. Apesar das tentativas de negociações o Governo enviou os Projeto à Câmara de Vereadores e na segunda-feira, houve a votação.

Para a surpresa de muitos, o Governo mesmo tendo a maioria dos vereadores, foi derrotado e o projeto rejeitado. Ambos os projetos tiveram três abstenções, três votos favoráveis e quatro votos contrários.

Se antes a tensão era visível no rosto dos servidores, depois da votação as lágrimas de alegria tomaram conta do plenário que se juntou ao coro “SERVIDORES UNIDOS JAMAIS SERÃO VENCIDOS”.

Para finalizar a noite uma caminhada foi realizada pelas ruas no Centro de Maravilha, com bandeiras, muito apito, buzinaço e apoio da população.

Segundo a presidenta do SITESPM-CHR Vania Barcellos, a greve que foi feita em sua maioria por professores garantiu a manutenção de direitos para os servidores das demais secretarias: Saúde, Assistência Social, Infraestrutura e Administração, apesar destes não terem aderido a greve. “Além da demonstração de garra e unidade dos professores eles também demonstraram solidariedade da classe e compromisso com a defesa ao respeito e valorização à todos os servidores da Prefeitura de Maravilha. SALVE OS/AS PROFESSORES/AS”. 

carregando