• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Lutar não é crime

Essa manhã a Polícia Federal invadiu a escola do MST em São Paulo e tratou como criminosos aqueles que lutam por um pedaço de terra, a CUT-SC vem a público repudiar esse atentado contra à democracia

Publicado: 04 Novembro, 2016 - 15h00

Escrito por: Direção CUT-SC

notice

No dia em que é celebrado e lembrado o assassinato de Carlos Marighella, morto a tiros numa emboscada do DOPS em 4 de novembro de 1969, somos surpreendidos com a notícia da invasão da Polícia Federal na Escola Nacional Florestan Fernandes do MST em Guararema, São Paulo.

Sem mandado de busca e apreensão, os policiais pularam a janela da escola e abordaram os estudantes e chegaram a dar tiros de armas letais. No momento da invasão policial acontecia um debate sobre cultura popular com a presença de estudantes de vários lugares do mundo e, também, era realizado um curso sobre educadores populares, curso este de inciativa da Universidade Federal Fronteira Sul – UFFS. Noutros dois estados, Paraná e Mato Grosso do Sul, a Polícia Federal faz uma operação para prender militantes do MST.

A CUT-SC vem a público repudiar veementemente ações truculentas e criminosas contra os movimentos sociais, em especial, contra o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. A luta desses trabalhadores e trabalhadoras é histórica em busca do acesso à terra e por um país com justiça social.

Não vamos aceitar que forças do estado criminalizem quem luta pelos seus direitos! Não vamos aceitar que o estado de exceção que dizimou, matou, torturou milhares de pessoas durante a ditadura militar, volte a reinar em nosso país!

Vamos juntos e juntas lutar pelos nossos direitos! Por nenhum direito a menos! Contra a criminalização dos movimentos e pela democracia, continuaremos em luta!

Pátria livre, venceremos! 

carregando