• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Greve geral vai parar Santa Catarina

Sexta-feira, dia 28 de abril acontece em todo o país uma greve geral em protestos contra os projetos de reforma da previdência, reforma trabalhista e terceirização

Publicado: 26 Abril, 2017 - 17h49

Escrito por: Sílvia Medeiros

notice

Parar a produção e mostrar a insatisfação com os projetos do governo Temer, esses são um dos principais objetivos da mobilização que começa à zero hora do dia 28 de abril e para somente na noite de sexta-feira.

Organizados pelas sete centrais sindicais presente em Santa Catarina, os representantes dos trabalhadores ressaltam que a adesão da greve está muito além da expectativa dos organizadores. Para Anna Julia Rodrigues, presidenta da CUT-SC esse apoio se dá pela violência que são as reformas do presidente Temer. “Apesar de sermos diariamente criminalizado pelos meios de comunicação e a mídia não explica detalhes dos riscos que são essas reformas, o povo esta entendendo e está vindo junto lutar contra as reformas”.

Segundo Anna Julia, o propósito desse dia de paralisação não é realizar grandes atos, mas parar a produção e mostrar que só a luta nas ruas para garantir que direitos históricos como férias, décimo e aposentadoria, não sejam arrancados dos trabalhadores. “Já tentamos dialogar de todas as formas que esses projetos vão prejudicar drasticamente os brasileiros e brasileiras, porém alguns políticos ignoram totalmente esse aviso e votam de acordo com seus patrocinadores. Eles precisam respeitar os trabalhadores e trabalhadoras, precisam ver do que somos capazes quando estamos unidos”.

Algumas categorias já realizaram assembleias e aprovaram paralisação no dia 28 de abril, outras estão juntas na construção da greve geral. Em Santa Catarina a adesão será dos seguintes trabalhadores:

Servidores Públicos Municipais

Servidor Público Estadual

Professores da Rede Pública estadual

Servidor Público Federal

Professores da rede privada de ensino

Trabalhadores da rede privada de saúde

Policiais Civis da região de Criciúma

Metalúrgicos

Bancários

Comerciários

Agricultores Familiares

Trabalhadores do transporte público

Trabalhadores dos Institutos federais

Psicólogos

Eletricitários

Auditores Fiscais

Professores e funcionários da universidade federal

Trabalhadores no judiciário estadual e nacional

Trabalhadores no serviço de limpeza e coleta de lixo da capital (COMCAP)

Trabalhadores na Indústria da Alimentação

Trabalhadores na Indústria dos Papéis

carregando