• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Frente Sindical em Defesa da Previdência em SC lança campanha contra Reforma

A frente conta com quase 30 centrais e sindicatos, entre eles a CUT-SC e diversos sindicatos CUTistas. Como primeira ação a Frente Sindical vai instalar quase 80 outdoors nos 500 quilômetros da rodovia BR 101

Publicado: 10 Junho, 2019 - 16h02

Escrito por: CUT-SC

notice

A Frente Sindical em Defesa da Previdência em Santa Cataria lança nesta segunda-feira (10) uma ampla campanha no estado contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 6-A, que trata da reforma da previdência. A frente conta com quase 30 centrais e sindicatos de trabalhadores da iniciativa privada e do serviço público, entre eles a CUT-SC e diversos sindicatos CUTistas.

O grupo foi criado com o objetivo de conscientizar a sociedade para os riscos e prejuízos que a PEC representa para a Previdência Pública e para Seguridade Social, mobilizar os trabalhadores no Estado e promover diversos atos contra a reforma da Previdência nos próximos meses. As entidades que integram a Frente Sindical vão participar da mobilização nacional durante a Greve Geral convocada para esta sexta-feira, dia 14, contra a reforma da Previdência.

Como primeira ação a Frente Sindical vai instalar quase 80 outdoors nos 500 quilômetros da rodovia BR 101, que corta o estado de norte a sul, da divisa com Paraná até o Rio Grande do Sul. A cada 12 quilômetros em média, nos dois sentidos da rodovia federal, será instalado um outdoor com mensagens contra a reforma da Previdência, que ficarão expostas por 15 dias, inicialmente, e que devem alcançar mais de 3 milhões de pessoas. Haverá ainda painéis em outras rodovias de grande fluxo, totalizando quase 100 inserções.

A Frente Sindical em Defesa da Previdência é uma iniciativa que reúne dezenas de representações sindicais que, em nome de centenas de milhares de trabalhadores, da iniciativa privada e do setor público, decidiram unir forças para defender uma previdência social, pública, justa e solidária, nos moldes do texto da Constituição Federal de 1988.

A Frente Sindical afirma que mantidos os recursos para o custeio da Previdência Social, conforme determina a Constituição Federal, seguramente, não há o chamado déficit na Previdência. A Frente Sindical reforça ainda que a CPI da Previdência, que teve se relatório final aprovado no Congresso Nacional, apontou que o verdadeiro problema da Previdência é sua gestão, pois são os crimes como a sonegação de impostos, por exemplo, que têm causado enormes perdas aos cofres da Previdência Social e que necessitam ser combatidos com urgência e prioridade pelo governo federal. O relatório final da CPI apontou que a Previdência Social perdeu mais de R$ 3 trilhões devido à sonegação, aos desvios e dívidas não recolhidas nos últimos anos.

A Frente defende ainda que para solucionar os problemas fiscais do Estado brasileiro é preciso promover uma verdadeira reforma Tributária que garanta a cobrança dos impostos e contribuições devidas e não pagas pelas grandes empresas e sonegadores históricos e que também reduza carga tributária da classe trabalhadora.

A previdência social justa e solidária, representa a segurança do futuro de cada cidadão brasileiro e suas famílias, e, portanto, a sociedade não pode permitir a sua destruição em benefício de interesses de grandes grupos financeiros que querem privatizar a Previdência e transformar em lucro um sistema que deve ter como objetivo a proteção dos cidadãos deste país.