• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Festival em Florianópolis marca aniversário de Lula com música e resistência

Festival Lula Livre de Santa Catarina trouxe atrações nacionais e locais para comemorar o aniversário de 74 anos do ex-presidente e reforçar a luta pela liberdade de Lula

Publicado: 28 Outubro, 2019 - 15h03 | Última modificação: 28 Outubro, 2019 - 15h33

Escrito por: Pricila Baade (CUT-SC)

notice

O aniversário de 74 anos de Lula foi comemorado em Santa Catarina do jeito que o ex-presidente gosta: com muita música, festa, diversão e resistência. Florianópolis recebeu nesse domingo (27) o Festival Lula Livre, o maior ato político-cultural já realizado em Santa Catarina em defesa da democracia e a favor da liberdade do ex-presidente Lula, preso político em Curitiba há mais de 560 dias.

O evento começou ao meio-dia no Miramar, área central da capital catarinense, e seguiu até o fim da noite com atrações locais e nacionais de cantores e bandas que usam a música para lutar pela democracia, igualdade e justiça. Mesmo com a forte chuva que começou a cair durante o festival, as mais de dez mil pessoas que passaram pelo evento não arredaram o pé de lá. Sombrinhas e capas de chuva foram as alternativas usadas pelo público para se proteger da chuva, mas teve ainda quem decidiu se entregar ao temporal e aproveitar os shows se encharcando. 

Subiram ao palco durante o festival nomes de grande representação na música do estado como Dandara Manoela, Baque Mulher Floripa, Cores de Aidê, Clave de Samba, Luciana Varella, Africatarina, MC Mooa, KA Alves e DJ Telinho e três atrações nacionais: Ana Canãs, Mulamba e Francisco El Hombre.

Filha de Lula lendo a carta escrita pelo ex-presidente para o Festival de Santa Catarina

 

Durante o festival a filha do ex-presidente, Lurian Cordeiro Lula da Silva, foi convidada para ler a carta feita por Lula especialmente para o Festival de Santa Catarina. Um dos trechos do texto escrito pelo ex-presidente dizia “A verdade pode adoecer, mas ela não morre, e no Brasil estamos vendo a verdade sendo massacrada por uma campanha de ódio para dar um golpe no país. Cada vez mais o povo vai percebendo que o golpe que deram não foi contra ao PT, mas contra os direitos dos trabalhadores, o acesso dos jovens à universidade, contra a nossa soberania, contra o Brasil”.

Ana Cañas se apresentando no Festival Lula Livre de SC

 

A primeira atração nacional a se apresentar foi Ana Cañass, nome já conhecido pela defesa por Lula Livre, entre as músicas com letras que enfatizavam principalmente a luta pela liberdade e igualdade dos direitos das mulheres, a cantora reforçou a importância da luta pela liberdade do ex-presidente “Essa é uma luta pelo povo, pela democracia, pelas pessoas dignas, pelos pobres, pelos pretos, pelos índios, pelos quilombolas, pelas mulheres que são violentadas”. Após comentar sobre o retrocesso que o atual governo de Bolsonaro representa, Ana finalizou “A gente tá aqui pra protestar, não vamos ficar quietos. Lula, a gente te ama e é grato por tudo o que você fez por esse país”

Banda Mulamba cantou músicas de resistência no Festival

 

A segunda atração nacional a subir no palco foi Mulamba, uma banda de Curitiba composta por mulheres com canções de protesto que tratam de temas que vão desde a violência contra a mulher até o descaso com as pessoas deixadas à margem da sociedade.

Após Mulamba, foi a vez da banda Francisco El Hombre se apresentar. O show começou no auge da chuva, mas junto com a intensidade dos pingos aumentava a energia do público, que pulou e gritou durante toda a apresentação. Em um momento do show, o vocalista e guitarrista Mateo Piracés-Ugarte convidou o todos para abrirem uma grande roda e entrelaçaram os braços entre si, desceu até o meio do público e disse “Olha bem pra quem tá do seu lado esquerdo e do lado direito, segura bem, porque são essas pessoas que vão estar do seu lado quando Lula sair”

Show de Francisco El Hombre foi marcado por muita energia, protesto ao atual governo e luta por Lula Livre