• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Em Santa Catarina, luta dos petroleiros cresce e une classe trabalhadora

Nesta sexta-feira pela manhã aconteceu ato público em Santa Catarina. A mobilização reuniu diversas entidades estaduais que manifestaram apoio aos petroleiros em greve nacional desde primeiro de fevereiro

Publicado: 10 Fevereiro, 2020 - 10h24

Escrito por: Sindipetro PR/SC

notice

Metalúrgicos, professores, comerciários, servidores municipais e trabalhadores de outras categorias de Santa Catarina se uniram nesta sexta-feira (7) para apoiar a greve dos Petroleiros, que desde 1º de fevereiro acontece em todo o país contra as demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR) e pelo cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).

A chuva não atrapalhou a mobilização no Terminal da Transpetro em Guaramirim (Temirim) e diversas lideranças sindicais fizeram falas em solidariedade aos petroleiros, o que reforça que a luta em defesa da Petrobras é de todos os brasileiros.

Hoje, a greve dos petroleiros mobiliza 69 bases operacionais da Petrobrás em 13 estados. São 27 plataformas, 11 refinarias, 14 terminais, 7 campos terrestres, 4 termelétricas, 2 UTGC, 1 usina de biocombustível, 1 fábrica de fertilizantes, 1 fábrica de lubrificantes e 1 fábrica de xisto.

Greve Nacional

A categoria exige a suspensão das mil demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR), em Araucária, também reivindica a retomada das negociações com a Petrobrás sobre o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), o fim da desmonte da estatal e a retomada do seu papel enquanto indutora do desenvolvimento econômico e social do país.