• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Em Assembleia, Bancários aprovam 5% de reajuste e manutenção dos direitos

A cate vvai receber 5% - aumento real de 1,18% - INPC estimada em 3,78% - para os salários e demais verbas como Auxílio-Creche/Babá, Vale-Refeição, Vale-Alimentação, 13ª cesta

Publicado: 31 Agosto, 2018 - 09h06 | Última modificação: 31 Agosto, 2018 - 09h36

Escrito por: Maristela Benedet

notice

Os bancários aprovaram a proposta da Federação Nacional os Bancos (Fenaban)  na Assembleia realizada nessa quinta-feira (30), no Sindicato dos Metalúrgicos.   Eles vão receber 5% - aumento real de 1,18% - INPC estimada em 3,78% - para os salários e demais verbas como Auxílio-Creche/Babá, Vale-Refeição, Vale-Alimentação, 13ª cesta e garantia de manutenção de todos os direitos previstos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) válida para os empregados de bancos públicos e privados entre outras conquistas. A proposta é válida para dois anos sendo que até 2020 ficam garantido o INPC e mais 1% de ganho real sobre todos os salários e verbas e a manutenção de todos os direitos. 

Foram aprovados ainda as pautas específicas da Caixa, Banco do Brasil e Banrisul.  A data-base é 1º de setembro de 2019. Como a campanha é nacional, Assembleias  aconteceram em todo país esta semana com aprovação da proposta.  A Campanha Nacional dos Bancários iniciou em julho e foram 10 rodadas de negociação com muita pressão da categoria.

“Foi uma campanha muito difícil com a conjuntura da Reforma Trabalhista e retirada de direitos, acredito que tivemos uma proposta positiva pautada pela união da categoria e pressão do comando, principalmente mantendo as nossas conquistas históricas e ganho real. Por outro lado, não conseguimos frear a implantação da reforma  com a terceirização que está sendo ampliada pelos bancos e, está continuará sendo a nossa principal bandeira luta a ser combatida”, analisa o presidente do Sindicato dos Bancários e Financiários de Criciúma e região, Valdir Machado da Silva. 

Conforme ele, as negociações com o Banco do Brasil e a Caixa Federal também garantiram a manutenção de todas as cláusulas dos acordos específicos, inclusive Saúde Caixa e PLR Social que estavam ameaçados. Valdir lembra ainda que a reforma Trabalhista acabou com a Ultratividade, princípio que previa a validade de um acordo até a assinatura de um novo. “Com o fim da Ultratividade a CCT perde a validade em 31 de agosto. Por isso, antecipamos nossa campanha este ano”, explicou o presidente. 

São cerca de 60 agências e PABs distribuídos nos 10 municípios de base do Sindicato: Criciúma, Içara, Balneário Rincão, Morro da Fumaça, Forquilhinha, Cocal do Sul, Urussanga, Siderópolis, Nova Veneza e Treviso com um total de 850 bancários. A data-base é 1º de setembro.

carregando