• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT solidarize-se aos Sinasefe por ataques sofridos de apoiadores de Bolsonaro

Apoiadores de Bolsonaro invadiram uma assembleia sindical para atacar e coagir os servidores do Instituto Federal Catarinense (IFC) de Camboriú

Publicado: 26 Outubro, 2018 - 12h21

Escrito por: CUT-SC

notice

A CUT-SC se solidariza aos companheiros do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) e aos servidores do Instituto Federal Catarinense (IFC) de Camboriú que foram coagidos e ameaçados por quatro apoiadores de Jair Bolsonaro que invadiram uma assembleia sindical nessa quarta-feira (24). 

Segundo o Sinasefe Litoral, o grupo se infiltrou na Assembleia passando-se por servidores do Instituto, entre eles a ex-candidata à deputada federal pelo PSL Dileta Correa Silva e o empresário Emilio Dalçoquio Neto, herdeiro de uma das principais transportadoras de cargas do país. Na reunião, os apoiadores do candidato de extrema direita se exaltaram e passaram a discutir com os servidores.

No vídeo, gravado pela assessoria do Sinasefe, Dalçoquio dá vivas ao ditador Augusto Pinochet, que governou o Chile entre 1973 e 1990, e foi acusado de crimes contra a humanidade.  O empresário grita “Viva Pinochet! Viva Pinochet! [Ele] matou quem tinha que matar. Viva Pinochet, porque se ele tivesse feito o que [fez] aqui no Brasil não teria ‘isso aí'”. Durante a ditadura Pinochet foram mortas no Chile mais de 3 mil pessoas e mais de 40 mil foram torturadas.

É lamentável que nossa tão jovem democracia esteja ameaçada pelo ódio e autoritarismo que se instalam no país. Não podemos aceitar que a liberdade de expressão, garantida pelo artigo 5º da Constituição Federal, seja destruída pela intolerância de pessoas que pensam diferente. As entidades sindicais e a realização de assembleias para seus filiados é assegurada pelo artigo 8º da Constituição e pela Convenção nº 87 da OIT e o sindicato tem a liberdade de decidir as pautas que serão debatidas.

A CUT sempre lutou pela livre organização sindical, contra todas as formas de opressão e em defesa dos direitos sociais e trabalhistas. Neste momento da história, onde a intolerância e ódio avançam no país, estamos ainda mais combativos e resistentes para garantir que nossa democracia e liberdade de expressão sejam mantidas.

 

 

Direção da CUT-SC

 

carregando
carregando