• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT/SC repudia projeto de volta às aulas de deputado João Amin (PP)

Nota repudia o projeto que tramita na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), que prevê a retomada das aulas no Estado a partir do mês que vem.

Publicado: 18 Maio, 2020 - 15h59 | Última modificação: 18 Maio, 2020 - 16h45

Escrito por: CUT-SC

notice

A CUT/SC divulgou uma nota de repúdio ao projeto de lei protocolado pelo deputado estadual João Amin (PP), que tramita na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), que prevê a retomada das aulas no Estado a partir do mês que vem.

Confira a nota completa:

Deputado João Amin (PP), desconhecendo totalmente a estrutura da educação pública de Santa Catarina, sucateada ao longo dos anos por governos privatistas, como os do seu pai Esperidião Amin e de sua mãe Angela Amin, propôs o projeto na Assembleia Legislativa intitulado de “Volta às aulas”.

Escancaradamente uma proposta vinda de empresários da educação, que sempre trataram o ensino como mercadoria, o parlamentar apresenta um cronograma de retorno dos estudantes e trabalhadores em tempos que os números de infectados pelo Covid-19 no Brasil e em Santa Catarina não param de crescer, alcançando agora municípios do interior que não tem sequer estrutura hospitalar para atender a demanda normal da região.

Na proposta de João Amin, ele fala em garantia de higienização diária das unidades de educação, da garantia de álcool em gel para acesso às escolas, da manutenção do distanciamento entre os estudantes e profissionais, da não aglomeração das famílias em frente às escolas, etc. Uma ideia que parece extraordinária, mas totalmente fora da realidade da educação brasileira e, mais ainda, das escolas públicas de Santa Catarina.

A proposta do parlamentar só demonstra o quanto a oligarquia catarinense, representada pela família Amin, desconhece a vida do povo e as condições precárias de educação que são ofertadas aos catarinenses. Tendo grande parte das salas de aulas superlotadas, com falta de materiais básicos de ensino nas escolas, com falta até de papel higiênico que precisa ser comprado pelas Associações de Pais e Alunos – APPs.

Em seu discurso de apresentação do projeto, o parlamentar - que é filho de senador e de deputada federal -, se disse preocupado com o acesso das crianças vulneráveis com a alimentação oferecida nas escolas e com o desemprego em massa que acontece na rede privada. Mas ao invés de pressionar (junto com seus pais) para que medidas urgentes sejam tomadas em nível federal, estadual e municipal, o parlamentar propõe que as crianças e profissionais da educação se exponham neste momento de chegada do pico de contaminação no Brasil.

A Central Única dos Trabalhadores de Santa Catarina – CUT-SC, que tem na sua base sindicatos que representam trabalhadores na educação da rede pública estadual e municipal e de trabalhadores da educação privada, vem a público manifestar seu total repúdio a este projeto “Volta às aulas” do deputado João Amin.

Vivemos em um momento de profunda crise mundial sanitária e econômica, a doença agora que chegou nas comunidades periféricas do país, regiões que não possuem estrutura de saneamento e tão pouco de acesso à saúde básica. O projeto do deputado no momento em que estamos - longe de controlar a pandemia - ajudará ainda mais na propagação do vírus e na morte dos catarineneses. A educação precisa ser repensada e os gestores precisam compreender as mudanças drásticas ocorridas na vida das famílias, devido à pandemia. Não dá para expor nossas crianças, adolescentes e trabalhadores da educação para garantia de calendário escolar ou lucro de escolas particulares.

Queremos uma posição urgente dos gestores que garanta alimentação as crianças em vulnerabilidade. Queremos políticas que atendam os trabalhadores da educação que perderam seus empregos com a crise do Coronavirus. Queremos total atenção dos gestores para garantia de acesso à educação com equidade para toda a população! Queremos condições de trabalho com segurança aos profissionais da educação!

Queremos respeito com as nossas vidas, com as vidas dos estudantes e de seus familiares!