• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-SC promove encontro para debater importância e função dos coletivos

Na quarta-feira (24) um encontro virtual reuniu diversos coletivos da CUT-SC para debater a importância e a função destes espaços e reorganizar coletivos que estavam desativados

Publicado: 26 Junho, 2020 - 10h26 | Última modificação: 26 Junho, 2020 - 11h52

Escrito por: Pricila Baade

notice

Na quarta-feira (24) um encontro virtual reuniu diversos coletivos da CUT-SC para debater a importância e a função destes espaços e reorganizar coletivos que estavam desativados. Participaram da atividade representantes dos coletivos que já estavam formados em Santa Catarina, como de mulheres, juventude, comunicação, organização sindical, saúde do trabalhador, trabalhadores com deficiência, jurídico e combate ao racismo, assim como de coletivos que ainda não existem, mas serão organizados no próximo período, como o de meio ambiente e trabalhadores LGBTQI+.

A presidenta da CUT-SC, Anna Julia Rodrigues, participou do encontro e afirmou que os coletivos são essenciais para estabelecer um diálogo com a base “Os coletivos desempenham o importante papel de articulação com a base, aproximando a CUT dos trabalhadores que não estão nas direções dos sindicatos. Eles são os braços da das secretarias para ajudar a tocar as políticas da central”

O assessor da Secretaria de Formação da CUT Nacional, Pérsio Plensack, fez uma apresentação sobre a função dos coletivos, explicando que eles foram formados a partir da necessidade da CUT de se apor aos sindicatos corporativistas e desempenhar sua concepção classista “A essência dos coletivos é reunir pessoas e manter a mobilização permanente em torno de um mesmo tema, ideia ou trabalho. Ele não é um espaço deliberativo, mas sim um espaço para formular e debater propostas e políticas para apresentar para as direções eleitas”. Pérsio falou também sobre os desafios dos coletivos de atuar em rede, buscando a intersecção entre os espaços da CUT.

A secretária de Formação da CUT Nacional, Rosane Bertotti, falou dos desafios destes espaços “A construção coletiva exige tempo e paciência, em um processo que garanta respeito às diversidades. Para que os coletivos funcionem é preciso planejamento. Os coletivos precisam dialogar com as ações estratégias da CUT e com as resoluções aprovadas no Congresso”.  

O encontro contou com uma novidade para as atividades virtuais: a realização de trabalhos em grupo. Os participantes se dividiram por coletivos e responderam três perguntas referentes ao estágio de organização, as principais dificuldades e a definição do próximo encontro de cada coletivo.