• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT-SC orienta seus sindicatos a manterem atos e mobilizações, mas suspenderem as paralisações

A CUT-SC orienta que os atos e ações marcados para o dia 5 devem ser mantidos como forma de pressão aos parlamentares, apenas as paralisações nos locais de trabalho devem ser adiadas para quando a reforma entrar em pauta.

Publicado: 01 Dezembro, 2017 - 13h59

Escrito por: Direção da CUT-SC

notice

Como não haverá votação na semana que vem, as centrais sindicais, CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central e CSB, decidiram suspender a greve nacional convocada para o próximo dia 5. A CUT-SC avaliou que está no caminho certo com o resultado da pressão do movimento sindical. A notícia de que o governo retirou da pauta da Câmara de Deputados a proposta da Reforma da Previdência é um sinal de que os deputados ficaram ainda mais inseguros e não estão confortáveis em votar esse projeto ao verem a mobilização que estava sendo organizada para a próxima semana. Essa é mais uma vitória da classe trabalhadora.

Sabemos que a organização para a greve em Santa Catarina já estava bem avançada, com a deliberação de paralisações e adesão de trabalhadores de diversos ramos.  Isso só demonstra a força do movimento sindical em chamar a classe trabalhadora para lutar por seus direitos. Orientamos que os atos e ações marcados para o dia 5 devem ser mantidos como forma de pressão aos parlamentares, apenas as paralisações nos locais de trabalho devem ser adiadas para quando a reforma entrar em pauta.

Ressaltamos que todos os Sindicatos Cutistas devem continuar convocando e organizando os trabalhadores e trabalhadoras para que estejam preparados para parar, fazer greve geral. O governo não tem os votos suficientes para aprovar as novas regras, mas devemos ficar atentos, pois a votação do desmonte da aposentadoria pode voltar para a pauta a qualquer momento.

Trabalhadores e trabalhadoras continuem mobilizados e em estado de alerta e para os deputados e o governo nosso recado continua o mesmo: “Se marcar a votação, o Brasil vai parar!”

 

Direção da CUT-SC

carregando