• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Audiência Pública em Lages debate Reforma da Previdência

O evento foi uma iniciativa proposta pelo vereador Amarildo Farias (PT), que contou com a participação da presidenta da CUT-SC, Anna Julia Rodrigues, e do deputado federal Pedro Uczai (PT).

Publicado: 26 Abril, 2019 - 15h48

Escrito por: Pricila Baade

notice

Na noite dessa quinta-feira (25) a Presidenta da CUT-SC, Anna Julia Rodrigues, participou de uma audiência pública que debateu sobre a Reforma da Previdência na Câmara de Vereadores de Lages. O evento foi uma iniciativa proposta pelo vereador Amarildo Farias (PT), que contou com a participação do deputado federal Pedro Uczai (PT).

O propositor da audiência abriu o evento falando sobre a importância de realizar um debate sobre a reforma no município de Lages “Muitos me questionaram do que adiantaria uma audiência local sobre este assunto se a Reforma vai ser discutida e aprovada em Brasília, mas eu reforço aqui que é preciso que cada um faça a sua parte para impedir que esse projeto seja aprovada”, esclareceu o vereador petista. Ele explicou alguns dos ataques à aposentadoria propostos na Reforma e sugeriu que a Câmara de Lages aprovasse uma moção de repúdio contra ao projeto, a exemplo do que já aconteceu em muitos outros municípios.

As pessoas da comunidade também puderam manifestar sua opinião sobre a Reforma da Previdência e tirar suas dúvidas sobre o projeto. O caminhoneiro Ivan Rodrigues da Silva foi um dos que desabafou no plenário sobre a sua insatisfação “Essa PEC do jeito que está é para matar os brasileiros. A classe trabalhadora – da classe média para baixo – é que será a mais prejudicada”. Ele relembrou que já enganaram o povo na Reforma Trabalhista para retirar direitos do povo e agora querem fazer o mesmo com a Reforma da Previdência e fez um pedido para Pedro Uczai “Por favor, senhor deputado, convoque a nação e nós iremos em fileira pra Brasília pra não deixar passar essa PEC”.

Após as falas da comunidade, o Deputado Federal Pedro Uczai esclareceu para o público alguns pontos importantes da Reforma, alertando que essa PEC não ataca apenas a previdência, mas toda a seguridade social do país – que inclui a assistência social e a saúde pública – e acaba com o regime solidário atual da previdência “A reforma do atual governo desmonta o tripé que sustenta a seguridade. Não vai ter reforma da Previdência vai ter mudança do regime de previdência (...) A base de sustentação da previdência não será mais o governo e os patrões, somente será o trabalhador. Então faço uma pergunta para você responder: se o discurso agora do governo é que a previdência está quebrada – quando governo, patrão e trabalhador contribuem – como será a nova que só o trabalhador contribui? Essa conta não fecha”.

A presidenta da CUT-SC também falou para a comunidade lageana e relembrou que o ataque à classe trabalhadora começou com o golpe à presidenta Dilma, em 2016 “Nós sempre avisamos que o golpe seria para retirar direitos dos trabalhadores – primeiro veio a terceirização, depois a reforma trabalhista – que já dificultará muito o acesso à aposentadoria dos trabalhadores. Então a Reforma da Previdência e as medidas deste governo nada mais são do que a continuidade do desmonte que já estava acontecendo no governo Temer”.

Anna Julia também falou sobre a necessidade de pressionar os parlamentares para que votem contra a Reforma da Previdência e a importância de dialogar com a população para que todas saibam dos perigos que seus direitos estão correndo com esta PEC.

Participaram também da audiência a diretora do Sindicato dos Profissionais em Educação de Lages (Simproel), Elaine Moraes; a integrante da Comissão do Direito Previdenciário da OAB Lages, Claudenice Neves; do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Serviço Público Federal em Santa Catarina (Sindprevs/SC); Silvio do Nascimento; da Casa do Trabalhador, Airton Neves; e do Fórum Sindical, Josias Rodrigues.

Caminhos para dialogar com o povo

A audiência pública realizada em Lages é um grande exemplo do que pode ser feito em outras regiões para dialogar com os trabalhadores e trabalhadoras sobre a Reforma da Previdência.

A presidenta da CUT-SC orienta que os sindicatos cutistas enviem sugestões para as Câmaras de Vereadores dos municípios da regional onde atuam para que todas realizem debates sobre a Reforma da Previdência “A realização de audiências públicas é um ótimo instrumento para dialogar com os trabalhadores sobre os direitos que estão em risco com essa PEC. Onde não houver vereadores de partidos de esquerda, é importante tentar articular com os políticos que são contra a Reforma”

Outra sugestão, a exemplo do que já vem acontecendo em outras regiões com a articulação de sindicatos cutistas é o envio de sugestões de Moções de Repúdio contra a Reforma da Previdência para serem aprovadas nas Câmaras. “É essencial que utilizemos todas as estratégias possíveis neste momento para impedir que esse ataque à aposentadoria seja aprovado”, reforçou Anna Julia.